Notícias

Programa Outras Palavras - Atuação da Fundação Renova é questionada em audiência pública da ALMG

  • 05/09/2019


A deputada Beatriz Cerqueira, membro da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Barragem de Brumadinho da Assembleia Legislativa, questionou as ações da fundação Renova durante audiência pública da Comissão de Direitos Humanos, em 26/8/2019 (segunda-feira). A instituição foi criada para, supostamente, reparar os danos causados com o rompimento da Barragem de Fundão em Mariana, em 2015.

“É urgente entendermos que os crimes com rompimento de barragens produzem danos a curto, médio e longo prazo. Por isso, um processo contundente de reparação é necessário. Mas, as mineradoras não se importam com a vida das pessoas”, disse Beatriz. Ela lembrou que parte dos trabalhadores da Vale, em Brumadinho, tinha apenas 35 segundos para se salvarem do caminho da lama de rejeitos.

A deputada reforçou que em Brumadinho nenhuma sirene de alerta tocou, o que resultou em mais mortes, além das pessoas não terem sido informadas do risco que corriam, caso a barragem da mina de Córrego do Feijão se rompesse. “É estarrecedor a violação de direitos, a falta de acesso à água e a luta que cada pessoa faz para ser reconhecida como atingida. Mas a Renova não cumpre o seu papel na reparação, apesar de ter um orçamento anual de quase R$ 3 bilhões e investir cerca de R$ 40 milhões em publicidade.”

Na avaliação da deputada, a instituição se tornou um negócio lucrativo, que violenta mais ainda a vida das vítimas do crime em Mariana.