Notícias

Veja no Programa Outras Palavras, que foi veiculado no dia 27 de julho de 2019

  • 02/08/2019


Veja no Programa Outras Palavras de 27 de julho de 2019

As principais lutas dos profissionais da educação

Uma escola pública de qualidade social para todos e todas

Por que ensinar é tão importante quanto qualquer outra profissão?

Saiba o que significa a Reforma da Previdência e como ela impacta a vida da classe trabalhadora


As principais lutas dos profissionais da educação

Durante reunião do Conselho Geral do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), 6/7/2019, a coordenadora-geral, Denise Romano, falou sobre a importância da categoria e de lideranças sindicais entenderem a conjuntura que se apresenta. “Para enfrentarmos os ataques no âmbito estadual será preciso entendimento. O projeto político do governador Romeu Zema visa diminuir o Estado e atender aos interesses dos empresários. Não há nenhuma discussão sobre nomeação de concursados ou cumprimento da Lei do Piso Salarial.”

Segundo ela, o governo não acena para o atendimento à pauta de reivindicações da educação, sem que isso esteja condicionado à adesão ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF). “Esse projeto do governador é a maior ameaça ao funcionalismo de Minas Gerais. Não haverá reajuste salarial, nem progressão de carreira, nem realização de concursos públicos. A dívida do Estado com a União ficará apenas suspensa, mas, sendo contabilizada com juros nesse período,” disse o diretor estadual do Sind-UTE/MG, Fábio Garrido, a respeito do RRF.

O diretor estadual, Aurívio Veiga, afirmou que o Estado não está quebrado como tem afirmado Zema. “O governo abre mão todos os anos de R$ 12 bilhões por meio da isenção, perdão e sonegação fiscal. A culpa da falta de recursos não é da classe trabalhadora. É da má gestão.”

Neusa Eustáquia Gonçalves, da Subsede de Uberlândia, ressaltou a postura contrária do governador em relação à categoria. “Zema cortou mais de 80 mil vagas da Educação Integral, demitiu mais de nove mil trabalhadores/as em educação, sem levar em conta a complexidade social envolvida na comunidade escolar. Que nós nos engajemos então na luta pelo direito legítimo do Estado oferecer uma educação pública de qualidade.”


Sind-UTE/MG – 40 anos de luta em defesa da educação

Durante a comemoração dos 40 anos do Sindicato, 6/7/2019, a coordenadora-geral, Denise Romano, leu uma emocionante carta da ex-presidenta da União dos Trabalhadores do Ensino (UTE) e do Sind-UTE/MG, Rosaura Magalhães Pereira.

Ao longo da carta, Rosaura destacou os desafios que o país e estado enfrentam, com o avanço de forças conservadoras na educação, a necessidade de mobilização da classe trabalhadora e rejuvenescimento do Sindicato.

“Participamos da resistência à ditadura militar, fundamos a UTE, estivemos presentes na elaboração da Constituição de 1988 e na construção do Partido dos Trabalhadores. A história mostra o que somos capazes de fazer quando estamos unidas e organizadas. O autoritarismo tem braços de ferro! Se nos descuidarmos, ele se instala”, disse Rosaura que também nos ensina.. “não existe modelo, existe a história!”


Uma escola pública de qualidade social para todos e todas

O Outras Palavras reproduz uma entrevista de Miguel Arroyo ao Programa Pensar a Educação Pensar o Brasil concedida à jornalista Yolanda Assunção, no dia 27/6/2019, quando o Sind-UTE/MG participou da homenagem realizada pelo projeto ao professor emérito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Um dos pontos ressaltados pelo professor foi a relação da educação com a democracia. “Nós temos que tirar um pouco dessa ilusão que pela democratização da educação a democracia se realiza. Se os mais pobres, a população rural, do sertão, das periferias, sem terra, sem teto, não participam dos processos de representação, o sistema político torna-se autoritário.”

“Hoje nós não temos uma pátria amada. Temos uma pátria armada. Não temos um governo democrático a serviço dos direitos humanos. Temos um poder armado”, disse o professor. Ainda segundo ele, é preciso refletir sobre a luta pela escola como uma luta por vidas, de maneira que a educação seja valorizada e, ao mesmo tempo, repensada.


 

Escola acima da média

A Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), presidida pela deputada Beatriz Cerqueira, entregou, no último dia 13/7/2019, voto de congratulações ao diretor da Escola Estadual David Campista, Diney Lenon de Paulo, localizada no município de Poços de Caldas.

“Eu me sinto muito honrado pela homenagem, que reflete o trabalho de centenas de profissionais e atinge mais de 1.200 famílias. Nosso discurso é reforçar a educação pública como uma obrigação do Estado, porque em nossa escola estão filhos de trabalhadores, empregadas domésticas, que têm todo o direito de ocupar cargos de liderança na sociedade”, disse Diney.

Ele foi homenageado pelo excelente desempenho da escola, por ter alcançado indicadores do Proeb, avaliação da rede pública de educação básica, em língua portuguesa e matemática acima da média nacional e estadual.

Beatriz Cerqueira parabenizou Diney pela gestão e afirmou ser importante reconhecer a dedicação de profissionais à educação, principalmente em momentos de obscurantismo político.


Programa Roda de Conversa coloca a Reforma da Previdência em debate

No último dia 15/7/2019, o Programa Roda de Conversa recebeu a deputada estadual e diretora do Sind-UTE/MG, Beatriz Cerqueira, para debater sobre os impactos que a Reforma da Previdência trará para a classe trabalhadora e ao povo brasileiro.

Segundo a deputada, a Previdência Pública já sofria mudanças desde 2017. “Ainda no governo de Michel Temer, uma das primeiras medidas provisórias determinava a revisão dos benefícios concedidos por invalidez, licença por motivos de saúde e Benefícios de Prestação Continuada (BPC). Isso já criava um falso problema no sistema, como se as pessoas estivessem burlando as regras para receber dinheiro do Estado. Mas nós estamos falando de pessoas pobres, que recebiam um ou dois salários mínimos!”

Beatriz Cerqueira ainda chamou a atenção para o ataque contra os/as trabalhadores/as rurais. Segundo ela, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019 vai tirar o poder dos sindicatos de caracterizar essas pessoas como asseguradas especiais na Previdência, o que centraliza a decisão e enfraquece as organizações trabalhistas.

“Quem defende a Reforma da Previdência não depende desse sistema público importantíssimo!” Assim a deputada ressaltou a necessidade de atenção aos apresentadores e apresentadoras de TV, financiados pelo governo Bolsonaro, que fazem propagandas enganosas sobre a proposta.

“A Reforma não mexe nos privilegiados, apenas traz prejuízos para o povo, exatamente as pessoas que precisam não só da Previdência Pública, mas, também de todo o sistema de Seguridade Social. Por isso, é preciso cobrar de prefeitos, vereadores, deputados federais e estaduais uma postura a favor da classe trabalhadora” afirmou Beatriz Cerqueira.

 


Famílias das vítimas do crime da Vale em Brumadinho continuam na luta por justiça

No último dia 25/7/2019, o crime da Vale em Brumadinho completou seis meses. São 272 mortes confirmadas e 24 ainda não encontradas segundo o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

O Sind-UTE/MG, por meio do programa Outras Palavras, se solidariza aos familiares das vítimas do crime da Vale e continua cobrando justiça.


O programa “Outras Palavras” é uma produção do Sind-UTE/MG e é veiculado aos sábados, das 10h às 10h:30, nas TV’s: Band Minas (em todo o Estado), Candidés (Divinópolis e Região) e na Band Triângulo. Você pode acompanhar também essa produção pelo Canal do Sind-UTE/MG no Youtube.

Inscreva-se no canal Outras Palavras e aperte o sininho para receber notificações de novas publicações