Notícias

Veja no Programa Outras Palavras, que será veiculado no dia 11 de janeiro de 2020

  • 10/01/2020


Veja no Programa Outras Palavras de 11 de janeiro de 2020

As pautas que movem os profissionais da educação em Minas Gerais

Novo presidente da CUT/MG fala sobre as lutas da classe trabalhadora no âmbito legislativo

Roda de Conversa – Como estão as pessoas atingidas pelo Crime da Vale em Brumadinho e Mariana?


19/2/2020 – Assembleia Estadual do Sind-UTE/MG com paralisação total das atividades

De acordo com o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), o governo Zema vem desprezando a educação no estado. Grande parte dos profissionais fechou o ano de 2019 sem receber o 13º salário e, agora, estão com os vencimentos parcelados.

No próximo dia 19/2/2020, o Sindicato convoca toda a categoria para uma Assembleia Estadual com paralisação total das atividades.

A coordenadora-geral do Sind-UTE/MG, Denise Romano, explica os motivos da indignação com o governador Romeu Zema. “É uma vergonha o que o governo está fazendo. Os R$ 2, 6 bilhões que deixaram de ser investidos na Educação dariam para cobrir quase quatro folhas de pagamento. Não podemos ter recursos retirados da pasta!”

Ela ainda destacou que, já nesse mês de janeiro, o Ministério da Educação publicará uma Portaria com novo reajuste do Piso Salarial, o qual o governador deve e não apresenta proposta de pagamento.

O diretor estadual do Sind-UTE/MG, Paulo Henrique Santos Fonseca, afirmou que é importante pressionar o Poder Executivo para que os deveres legais sejam cumpridos, “sobretudo o 13º salário e o pagamento do Piso Salarial, previsto na Lei estadual 21.710/2015.”

Com um documento do Tribunal de Contas do Estado em mãos, a deputada estadual, Beatriz Cerqueira (PT/MG), apresentou, concretamente, que o governador Zema teria dinheiro em caixa para pagar o 13º salário de forma integral a toda a categoria. Ela ainda destacou que o governo não precisaria da antecipação dos royalties do nióbio para a quitação.

“A tática que utilizam sempre é relacionar a venda do patrimônio público, como Cemig e Copasa, para cumprir com as folhas de pagamento. Mas, e quando não tivermos mais empresas públicas? Vamos privatizar as escolas?” Alertou a deputada.

“O governador Zema já demonstrou que o diálogo não é o caminho para interlocução com a classe trabalhadora. Faremos a cobrança dos nossos direitos também nas ruas”, disse o diretor estadual do Sind-UTE/MG, Fábio Garrido.


Congresso da CUT Minas faz retrospectiva das gestões passadas

O 13º Congresso Estadual da Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CECUT/MG) foi encerrado no último dia 1/12/2019, no Centro de Convenções em Ouro Preto.

A deputada estadual e ex-presidenta da Central, Beatriz Cerqueira (PT/MG), fez um breve relato sobre a construção coletiva que fez ao longo do seu mandato. “Deixo essa gestão com uma nova sede para os trabalhadores e trabalhadoras, deixo uma homenagem aos 36 anos da CUT/MG aprovada na Comissão de Trabalho da Assembleia Legislativa, deixo um caminhão vermelho. Reforço a coletividade do nosso mandato, porque só avançamos quando podemos contar umas com as outras.”

“Nós faremos a disputa da comunicação, do espaço legislativo, a luta nas ruas e em todos os espaços que pudermos ocupar com a voz da classe trabalhadora”, disse o novo presidente da CUT/MG, Jairo Nogueira Filho.


PLC que prorroga o prazo de licença aos adoecidos e vinculados pela LC 138/2016 é sancionado

Foi prorrogado o prazo de licença médica aos servidores adoecidos e vinculados à Lei Complementar 138/2016, que eram da Lei 100. Com a sanção do governo do Estado à LC 152/2019, no último dia 31/12/2019, a data limite para reavaliação pericial ou aposentadoria será até dezembro de 2023.

Essa conquista só foi possível por conta luta feita pela deputada estadual, Beatriz Cerqueira (PT/MG), no âmbito da Assembleia Legislativa e pela mobilização da categoria, sob coordenação do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG).

Caso o prazo não fosse prorrogado, quase dois mil profissionais da educação poderiam ficar sem qualquer remuneração ou emprego, já que a data de encerramento, constada na LC 138/2016, era até 31/12/2019.

O programa Outras Palavras fez uma retrospectiva com os principais momentos dessa luta.


Roda de Conversa – MAB debate sobre os crimes da Vale em Brumadinho e em Mariana

Como está a situação dos atingidos pelo crime da Vale em Brumadinho e em Mariana? Foi sob esse questionamento que o programa Roda de Conversa, no último 6/1/2020, recebeu Soniamara Maranho e José Geraldo Martins, militantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

Soniamara ressaltou uma importante e grave informação. “Até hoje, nenhuma casa foi construída aos atingidos do crime da Vale no distrito de Bento Rodrigues. As famílias continuam sem projeto de vida, sem ter perspectiva de futuro porque não têm onde morar. Os idosos estão morrendo, as pessoas se desestruturam, a violência contra as mulheres aumenta.”

Ela disse isso ao questionar a efetividade da instituição que, supostamente, foi criada para reparar os danos causados ao meio ambiente e às pessoas. “A Fundação Renova é administrada pela Vale, BHP Billiton e Samarco. Nada tem feito para cumprir com a obrigação de reparar o crime cometido.”

Segundo ela, só na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) existem 16 barragens em processo de investigação. “Caso rompam, nós precisaremos discutir sobre o que acontecerá com o acesso à água em toda a região.”

José Geraldo lembrou a todos e todas que o crime da mineradora em Brumadinho, ocorrido em 25/1/2019, continua causando consequências graves ao meio ambiente. “O processo de envenenamento da bacia do Rio Paraopeba é contínuo, porque os rejeitos se sedimentam no leito. Para as populações ribeirinhas, isso significa perder sua fonte de renda, a esperança de que a situação possa voltar ao normal.”

O militante do MAB trouxe dados alarmantes a respeito do adoecimento da população de Brumadinho. “Segundo dados levantados pela própria prefeitura do município, logo nos meses seguintes ao rompimento da barragem da Mina de Córrego do Feijão houve um aumento de 80% no consumo de remédios tarja preta para depressão e ansiedade. Isso nas farmácias públicas, sem contar as particulares.”

Ao longo da conversa, foi destacado que a deputada estadual e membro da Comissão Parlamentar de Inquérito da Barragem da Barragem de Brumadinho na Assembleia Legislativa, Beatriz Cerqueira (PT/MG), e o deputado federal e relator da CPI na Câmara Federal, Rogério Correia (PT/MG), entraram com um requerimento no Ministério Público do Estadual para tratar sobre o processo de reparação, no último dia 30/12/2019.

O documento pede providências contra a distribuição de lucros e dividendos da Vale aos acionistas, que chegam ao valor de R$ 7,25 bilhões, até que as indenizações sejam pagas para os atingidos.


O programa “Outras Palavras” é uma produção do Sind-UTE/MG e é veiculado aos sábados, das 10h às 10h:30, nas TV’s: Band Minas (em todo o Estado), Candidés (Divinópolis e Região) e na Band Triângulo. Você pode acompanhar também essa produção pelo Canal do Sind-UTE/MG no Youtube.

Inscreva-se no canal Outras Palavras e aperte o sininho para receber notificações de novas publicações.