Notícias

Veja no Programa Outras Palavras veiculado no dia 6 de abril de 2019

  • 10/04/2019


Veja no Programa Outras Palavras, edição deste sábado, 6 de abril de 2019, foram destaques:

– As mentiras sobre a Reforma da Previdência que o governo federal não quer contar à população.

– O que mobiliza os profissionais da educação nesse momento.

– A segurança nas escolas e as atitudes do governo do estado em relação a esse problema.


Quem ganha com a Reforma da Previdência são os bancos, afirma ex-ministro

No último dia 15 de março de 2019, ao participar de um Seminário na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em Belo Horizonte, o ex-ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, explicou que o governo federal alega a existência de um déficit monstruoso na previdência, mas isso não é verdade. Quem ganha com a Reforma da Previdência são os bancos, diz Gabas.


Não à Reforma da Previdência!

Educadores e educadoras de todas as regiões do estado dizem não à Reforma da Previdência. Durante a Assembleia estadual realizada, no último dia 22 de março, em Belo Horizonte, eles disseram porque esta Reforma é tão nefasta para professores e professoras.

O secretário- geral da CUT/MG, Jairo Nogueira, chama a atenção para as perdas e diz que as mulheres serão as mais prejudicadas.


Nenhuma escola a menos!

Durante a Assembleia estadual realizada, no último dia 22 de março de 2019, em Belo Horizonte, a deputada estadual, Beatriz Cerqueira, colocou seu mandato à disposição dos servidores e servidoras do Estado e afirmou que está construindo a plataforma #nenhumaescolaamenos. Afirmou ser preciso discutir no parlamento todas as pautas que dizem respeito à educação pública, e resistir àquelas que criminalizam e desqualificam a profissão dos educadores e educadoras.


Dia Nacional de Lutas contra a Reforma da Previdência

O último dia 22 de março de 2019, em Belo Horizonte, foi marcado pelo povo nas ruas fazendo uma grande manifestação, uma marcha que saiu da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) até a Praça Sete, centro da capital mineira.

Denise Romano, diretora estadual do Sind-UTE/MG, elencou algumas das mentiras que o governo do presidente Bolsonaro está contando para o povo sobre a Reforma da Previdência. Uma delas é dizer que a Reforma é para combater os privilégios.

Já a deputada estadual, Beatriz Cerqueira, lembrou que esse modelo de Reforma que querem adotar aqui é o mesmo implantado no Chile e que quebrou o país deixando milhares de idosos na miséria. Segundo a deputada, essa Reforma que o governo apresenta como nova ataca diretamente os professores e professoras e as trabalhadoras rurais.


A segurança nas escolas e as atitudes do governo do Estado em relação a esse problema

O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) marcou presença em audiência pública realizada, no dia 28 de março de 2019, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) a requerimento da deputada estadual Beatriz Cerqueira.

Diversos parlamentares e representantes de entidades sociais e si ndicais defenderam durante o encontro, a continuidade dos serviços prestados por cerca de 600 vigilantes em 157 escolas e 34 unidades administrativas localizadas em áreas de grandes vulnerabilidades sociais.

A Comissão de Educação reuniu 25 deputados e deputadas e discutiu diversos assuntos ligados a educação, em reunião que lotou o auditório José Alencar. A deputada estadual Beatriz Cerqueira ressaltou o aumento do número de casos de violência registrados nas escolas públicas e privadas do estado de Minas Gerais. Segundo ela, uma pesquisa realizada pelo Sind-UTE/MG aponta que 43% da categoria da educação já foi vítima de algum tipo de violência nas escolas.

Beatriz Cerqueira destacou que existem muitas formas de discutir o Orçamento do Estado e que preciso focar na receita e não discuti-lo somente na perspectiva das despesas. “É preciso ter coragem de bater na porta em Brasília e, para além da Lei Kandir, debater também os precatórios do Fundeb”, afirmou.

A diretora estadual, Feliciana Saldanha, relatou a preocupação da categoria da educação com a política de redução de custos, pois, isso significa diminuição de investimentos e aumento do desemprego. Ela também falou do não pagamento, em dia, dos salários dos/as trabalhadores e trabalhadoras em educação, do parcelamento de 13º salário e de várias questões importantes que precisam ser discutidas com o governo. “É preciso estabelecer um diálogo da categoria com o governo e o debate entre os gestores e a representação dos trabalhadores em educação precisa ser um processo natural e isso não vem acontecendo.”


As mobilizações dos profissionais da educação

Em 11 de abril, o Sind-UTE/MG convoca trabalhadores e trabalhadoras em educação de Minas Gerais, para “Dia de Paralisação Total de Atividades e de Manifestação”, na cidade administrativa, em Belo Horizonte. Essa deliberação foi tirada pela categoria, durante a assembleia estadual do dia 22 de março.

Os profissionais da educação estão em luta pela abertura de negociações com o governo do estado e contra a Reforma da Previdência. A manifestação na cidade administrativa será a partir de 9h e, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), às 14h. Participe!


O programa “Outras Palavras” é uma produção do Sind-UTE/MG e é veiculado aos sábados, das 10h às 10h:30, nas TV’s: Band Minas (em todo o Estado), Candidés (Divinópolis e Região) e na Band Triângulo. Você pode acompanhar também essa produção pelo Canal do Sind-UTE/MG no Youtube.