Notícias

Veja no Programa Outras Palavras veiculado no próximo dia 13 de abril de 2019

  • 15/04/2019


Veja no Programa Outras Palavras veiculado no dia 13 de abril de 2019

– Educadoras e educadores querem atendimento digno pelo IPSEMG

– O que mobiliza os profissionais da educação nesse momento

– As professoras serão as mais prejudicadas com a Reforma da Previdência


Educadores e educadoras querem atendimento digno pelo IPSEMG

Uma audiência pública para debater sobre a situação do IPSEMG foi realizada, no último dia 26 de março, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, a requerimento da deputada estadual Beatriz Cerqueira.

Servidores de várias regiões do estado, entre eles trabalhadores e trabalhadoras em educação de Minas Gerais, marcaram presença. A deputada estadual, Beatriz Cerqueira, chamou a atenção para a discussão do IPSEMG que já é intrínseca à luta dos servidores e servidoras públicas estaduais há anos.

A diretora do Sind-Saúde/MG, Neuza Pereira de Freitas, disse que os servidores e servidoras não podem se esquecer de que o IPSEMG é maior que qualquer governo porque ele é o patrimônio dos servidores públicos e do povo mineiro. “ A situação de atendimento é grave, existem pessoas em tratamento quimioterápico, sem medicação e que estão perdendo a saúde e até suas vidas”, alertou.

Para a professora e diretora estadual do Sind-UTE/MG, Elaine Cristina Ribeiro, a culpa da descapitalização do IPSEMG não é do servidor, até porque, antes mesmo de receberem já é descontado a parcela do Instituto do salário, em folha de pagamento. “O Estado é que não tem feito a sua parte”, frisou. De acordo com ela, o problema do estado hoje, é de gestão, de prioridades e de vontade política.

A presidenta do Sindicato dos servidores do IPSEMG, Maria Abadia de Souza, alertou que os servidores pagam uma coparticipação, além do que já vem sendo descontado e o governo não repassa esse valor para o IPSEMG. Por essa razão é que falta atendimento, investimento em profissionais qualificados. “É preciso que os recursos cheguem, de fato, ao IPSEMG e sejam geridos por ele”, destacou.


Deputada pede que governador respeite o Sind- UTE/MG e os servidores públicos

Desde janeiro do ano de 2019, o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE/MG) vem pedindo ao governador Romeu Zema que abra a negociação com a categoria da educação.

No último dia 22 de março, de acordo com a deputada estadual Beatriz Cerqueira, a Secretária de Estado da Educação se reuniu com a categoria, mas, até então o governo não avançou no sentido de sentar e ouvir o Sindicato sobre as questões que envolvem os profissionais da educação.

A deputada cobrou do governo que ele abra processo de negociação com o Sindicato. Ela disse que não importa os pensamentos divergentes, mas que a abertura de diálogo é fundamental. “Não se pode deixar de escutar uma categoria que tem a importância que tem a educação. Não se pode ignorar um sindicato com 40 anos de luta, não realizando reuniões.”


Quem luta educa e conquista

O diretor estadual e coordenador da Subsede Betim, Luiz Fernando Oliveira, disse que a conjuntura se mostra a cada dia mais difícil. Segundo ele, temos um governador que não está a serviço dos interesses da classe trabalhadora e dos brasileiros. “O que existe é um projeto entreguista e de lapidação do patrimônio brasileiro, incluindo meio ambiente, e as riquezas naturais. O que interessa ao governo é destruir os sindicatos e todas as organizações que defendem o povo de luta. Em Minas Gerais não há nada de novo, o que temos é o que há de mais velho e mais retrógado na política do estado de Minas Gerais”, afirma.

A diretora estadual do Sind- UTE/MG, Patrícia Pereira, afirmou que a previdência tem um valor civilizatório, pois se baseia em princípios que norteiam a existência humana, posto que a sua criação foi para suprir as necessidades dos doentes e não para servir de aporte lucrativo. “O fascismo não vai passar”, disse.

A dirigente do Sindicato também sai em defesa de uma educação democrática, em tempos completamente antidemocráticos e afirma que é possível combater tudo isso, desigualdade e desmonte da educação com mais seriedade, concurso público, nomeações de concursados e respeito aos direitos adquiridos.


As mentiras sobre a Reforma da Previdência que o governo não conta

No último dia 15 de março de 2019, ao participar de um Seminário na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em Belo Horizonte, o ex-ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, esclareceu dúvidas dos servidores e servidoras sobre as inúmeras perdas que a Reforma da Previdência traz. “Essa Reforma de Bolsonaro, Paulo Guedes e Cia não aposentará ninguém”, disse ele.


O programa “Outras Palavras” é uma produção do Sind-UTE/MG e é veiculado aos sábados, das 10h às 10h:30, nas TV’s: Band Minas (em todo o Estado), Candidés (Divinópolis e Região) e na Band Triângulo. Você pode acompanhar também essa produção pelo Canal do Sind-UTE/MG no Youtube.