Notícias

Adesão à greve nacional dos trabalhadores da Petrobras em Minas Gerais é de 90%

  • 04/11/2015


Em sintonia com o movimento grevista indicado pela Federação Única dos Petroleiros (FUP), trabalhadoras e trabalhadores da Refinaria Gabriel Passos (Regap) e Termelétrica Aureliano Chaves (UTE-ACH) cortaram a rendição às 23h30 de domingo, 1º de novembro. Ou seja, não houve troca de turno. A estimativa é que 90% da categoria aderiu à greve.

 

Montes Claros

Na quarta-feira, dia 4, a diretoria do Sindicato dos Petroleiros de Minas Gerais (Sindipetro/MG) estará na Usina de Biodiesel Darcy Ribeiro, em Montes Claros, para discutir com a categoria sobre a mobilização nacional e a participação dos trabalhadores no movimento.

 

O que querem os petroleiros?

Impedir o desmonte da Petrobras e das conquistas que os trabalhadores e o povo brasileiro garantiram, após anos de luta. Esse é o objetivo central da luta que os petroleiros vêm travando pela revisão do Plano de Negócios da Petrobras. As principais reivindicações estão expostas na Pauta pelo Brasil, que foi aprovada durante a 5ª Plenária Nacional da FUP, realizada entre 1° e 5 de julho, em Guararema (SP), e protocolada na Petrobras no dia 7 de julho.

 

  • Manutenção da Petrobras como uma empresa integrada e indutora do desenvolvimento nacional.
  • Suspensão da venda de ativos e conclusão das obras do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), da Refinaria Abreu e Lima (PE) e da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Mato Grosso do Sul (Fafen-MS).
  • Preservação da política de conteúdo nacional, com construção de navios e plataformas no Brasil.
  • Garantia de que as riquezas do pré-sal sejam exploradas pela Petrobrás, em benefício do povo brasileiro.
  • Implementação de uma nova política de saúde e segurança que garanta o direito à vida e rompa com o atual modelo de gestão que já matou 16 trabalhadores só este ano.
  • Recomposição dos efetivos.
  • Preservação de todos os direitos conquistados pelos trabalhadores.

 

(Site Sindipetro/MG – 03/11/15)