Notícias

CNTE e IEAL realizam Encontro de Diversidade e Direitos LGBT

  • 16/10/2015


VITÓRIA/ES – Durante os dias 06 e 07 de outubro, o coletivo LGBT da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) participa de mais um encontro promovido pela Internacional da Educação para América Latina (IEAL), apresentando os avanços do movimento sindical nessa temática, mas também debatendo estratégias para garantir a diversidade e os direitos humanos no espaço escolar, com respeito à identidade e à orientação sexual de todas e todos.

Este encontro reúne dirigentes sindicais de 13 sindicatos afiliados à CNTE e também companheiros e companheiras de três Sindicatos afiliados à IEAL: ANDE (Costa Rica), Uruguai (FUNTEP) e Argentina (CEA), todos irmanados no combate às diversas formas de discriminação, independente de como se apresentem e para construir uma região latinoamericana justa e igualitária.

A professora Fátima Silva, secretária de Relações Internacionais da CNTE e Vice-Presidente da IEAL – Internacional da Educação para América Latina, lembrou que este foi um tema relevante durante o Congresso Mundial da IE no Canadá em julho deste ano, com resoluções muito claras para defesa dos direitos LGBT, com vistas a uniformizar políticas em países e continentes. “Seremos incansáveis em nossas ações para o fomento de debates que gerem a criação de políticas de Estado, e também para que todos os sindicatos da região implementem ações e políticas no próprio âmbito da entidade”, disse.

O encontro em Vitória acontece justamente na semana em que o INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira divulga que, em relação ao ano passado, praticamente triplicou o número de transexuais e travestis que farão o ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em 2014 houve 102 solicitações de uso do nome social nos dias do exame e agora em 2015, foram 278 solicitações.

Tal dado reforça a importância deste compromisso da CNTE e IEAL e nos leva a refletir sobre como superar o desafio que representa o preconceito e como avançar no fortalecimento da capacidade sindical para elaborar políticas em defesa de uma educação pública gratuita, de qualidade e verdadeiramente inclusiva.

Zezinho Prado, Secretário de Direitos Humanos da CNTE, defende que esse debate esteja constantemente em pauta: “É muito importante a realização das Conferências Nacionais de Educação, em que o debate nos eixos de diversidade permite desenvolvermos políticas para a Educação. A CNTE tem sido protagonista nesses espaços e não podemos nos afastar desse papel, já que, infelizmente, nosso ambiente escolar ainda é homofóbico e excludente”. O Diretor Administrativo e Financeiro do SINDIUPES/ES, Christovam de Mendonça, reitera a importância de garantir os direitos LGBT: “Uma pesquisa da FIPE de 2009, conclui que preconceito e baixo aproveitamento em avaliações nacionais são correlacionados. Portanto, discutir esta pauta é assegurar o acesso, a permanência e condições de aprendizagem a todos os estudantes LGBT”, finaliza.

A atividade conta com a participação dos diretores da CNTE: Fátima Silva, Marta Vanelli, Zezinho Prado, Claudir Sales e Maria Madalena Alcântara, e estão representadas as seguintes entidades afiliadas à CNTE: APLB/BA, AFUSE/SP, APEOESP/SP, SINPRO/DF, SINTEGO/GO, SIND-UTE/MG, SINTEP/MT, SINTEPE/PE, SINDIUPES/ES, SINTE/PI, APP/PR, SINTE/SC e SINTET/TO.

Veja a cobertura fotográfica completa na página da CNTe no Facebook.

CNTE Informa