Notícias

Posse Política da direção do Sind-UTE MG

  • 23/02/2016


Unidade para resistir e avançar!  

Diz o ditado popular que o bom filho a casa torna. Na noite do dia 20 de fevereiro último, cerca de 600 educadoras e educadores participaram da posse política da direção estadual do Sind-UTE/MG, conselho geral e diretores das subsedes, gestão 2015/2018, no auditório da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), na região centro-sul de Belo Horizonte.

Foi exatamente neste mesmo espaço que se deu, em 1979, a fundação da União dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (UTE). Portanto, 36 anos após esse marco, os profissionais da educação escrevem mais um importante capítulo de sua trajetória nesse referencial histórico.

Da UTE ao Sind-UTE/MG uma longa caminhada e a certeza de que somente a luta coletiva garante conquistas. Ao relembrar muitos desses momentos, especialmente do intenso período de lutas em defesa do Piso Salarial Profissional Nacional, de 2008 a 2015, os trabalhadores em educação de Minas Gerais reafirmaram que, mesmo diante de tantos percalços, esse é um tempo para celebrar.

20-02-2016 POSSE Sindute - Foto Lidyane Ponciano - ALTA-153-Bia“A gente precisa comemorar cada passo, cada conquista, valorizar todo o esforço feito, quem fez a luta antes da gente, quem faz a luta agora em prol dos interesses de todos, mesmo não sendo diretamente beneficiado pelos resultados alcançados. Se a agente não celebrar, não se alegrar pode dar a entender que a luta não valeu a pena”, disse a coordenadora-geral do Sind-UTE/MG, Beatriz Cerqueira, ao dar boas-vindas aos presentes.

 

 

20-02-2016 POSSE Sindute - Foto Lidyane Ponciano - ALTA-81-LourdesNeste contexto de valorização, o trabalho abnegado da primeira mulher a presidir a UTE, Rosaura de Magalhães, foi reverenciado como sendo o precursor dessa história. À Comissão Eleitoral, aos funcionários do Sindicato e a sua assessoria técnica, agradecimentos à parte. Reconhecimento do quanto é necessário o esforço de cada um. “Quando nos reconhecemos no espaço desta luta, a gente cresce”, disse a dirigente Sindical, Lourdes Maria de Jesus Vasconcelos, integrante da direção da CUT/MG e coordenadora da Comissão eleitoral. Ela não se eximiu em dizer que, mesmo diante do imenso desafio e do grandioso trabalho, tudo correu dentro do planejado. “Foi uma honra assumir essa responsabilidade. Já tive na direção do Sindicato e agora, pela CUT Minas, encarar essa responsabilidade foi gratificante. Agradeço a todos pela confiança!”

Aprendizado e colaboração.Talvez sejam essas as palavras que também estimularam tantos diretores e diretoras a viajarem de tão longe para esse momento especial, que contou com a presença de convidados/as de Minas e de outros estados da federação, parlamentares, lideranças sindicais e populares, movimentos sociais e estudantis.

Dimensão para além da luta corporativa

A grandeza do Sind-UTE/MG, um sindicato que cresce continuamente para além de seus propósitos corporativos, buscando se envolver também nas lutas de outras categorias foi bastante pontuada, como sendo fruto do trabalho de todos que fizeram a luta no passado e os que fazem a luta no cotidiano.

Também foi maximizada no apoio de parceiros essenciais, como por exemplos os parlamentares que apoiam as pautas da educação nas casas legislativas, fazendo com as demandas dos educadores pudessem caminhar nesse esfera de poder.

Os tempos difíceis de lutas, paralisações, mobilizações e enfrentamentos, especialmente à força policial, com seus cães adestrados, cavalaria, gás de pimenta e gás lacrimogêneo foram lembrados com tempos de coragem e superação.

“Como esquecer a falta de políticas públicas para a educação e a saúde,  a ausência de diálogo com os trabalhadores e trabalhadoras; a intransigência do governo evidenciada na greve de 112 dias da educação, em 2011, a recusa dos governos Aécio/Anastasia de cumprir a lei e a pagar o piso nacional salarial, a criminalização dos movimentos sociais e sindical.  O ano de 2015 não foi fácil e este será um ano difícil também. Por isso, é preciso persistência”, recomendou Beatriz.

20-02-2016 POSSE Sindute - Foto Lidyane Ponciano - ALTA-67 - JairoEssa característica tão peculiar do Sind-UTE/MG de resistência é que desperta, segundo o diretor doSindieletro-MG e secretário-geral da CUT/MG, Jairo Nogueira Filho, o interesse de aproximação de outras entidades sindicais. “Vocês dão exemplo de garra e de força para todos nós. A greve de 2011 foi um março determinante do enfrentamento político feito aos governos Aécio/Anastasia. São vocês também que levantarem a bandeira de um segmento tão importante para a sociedade: a escola pública”, disse.

 

 

20-02-2016 POSSE Sindute - Foto Lidyane Ponciano - ALTA-30-Fatima SilvaE se há um tempo para lutar, não restam dúvidas de que é preciso haver também um momento para celebrar. Foi esse é o destaque da vice-presidenta Internacional para a América Latina (IEAL), Fátima Silva, que frisou ainda o papel combativo e cidadão do Sind-UTE/MG. “A contribuição de vocês na derrota do projeto neoliberal e retrógrado para Minas foi importantíssimo, mas acima de tudo, de maneira decisiva, vocês conseguiram evitar um mal maior para o Brasil”.

Ao referenciar a coragem da comunista revolucionária, Olga Benário, que lutava para acabar com as desigualdades e injustiças sociais e foi executada na câmara de gás pelos nazistas, em 1942, conclamou a todos e todas a não desistirem jamais. “Dirigente sindical é eleito para mostrar caminhos, conduzir a luta e aglutinar as pessoas em torno de causas coletivas. Somos luta, somos trabalho, somos família… somos gente! E gente sente dor, mas também é capaz de sorrir e de sonhar”.

20-02-2016 POSSE Sindute - Foto Lidyane Ponciano - ALTA-21Representando a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Ieda Leal, trouxe o abraço do presidente Roberto Frankilin Leão a toda direção do Sindicato. Em seguida parabenizou o Sind-UTE/MG e os educadores mineiros pela coragem, persistência e pelas conquistas. Pediu o apoio de Minas na luta travada pelos educadores de Goiás contra a privatização do ensino e disse que é essa uma tarefa grandiosa, já que é preciso combater o poderio das Organizações Sociais.

Outros desafios por ela lembrados vieram ao encontro da pauta que motiva a greve nacional da educação convocada para os dias 15,16 e 17 de março que tem, entre outros objetivos, o propósito de reforçar a luta pelo cumprimento da Lei do Piso, o pagamento do reajuste do Piso Salarial de acordo com a determinação do MEC, contra a terceirização e a entrega das escolas às Organizações Sociais, contra o parcelamento de salários e a reorganização do ensino. “Não abrimos mão da proposta da reorganização curricular, de concurso público como forma de ingresso na educação, precisamos juntos combater o racismo e todas as formas de preconceito.  Por tudo isso, é que reforço o lema: a luta continua!”

Abram os olhos!

20-02-2016 POSSE Sindute - Foto Lidyane Ponciano - ALTA-43-MarcelinoO que não é bom na Argentina não serve para o Brasil. Foi esse o recado dado pelo presidente da Central de Trabalhadores e Trabalhadoras de Minas Gerais (CTB), Marcelino Rocha. Ele lembrou as dificuldades por que passam o povo argentino com o governo Magri, que ataca com ferozmente os direitos da classe trabalhadora. “Essa investida neoliberal deve servir de exemplo para o Brasil. Os argentinos estão indo às ruas lutar contra a carestia e o aumento na conta de luz. Essa ameaça não pode chegar aqui. Por isso, é preciso ficar atento, não cair na conversa dessa mídia interesseira que insiste em dizer que o povo brasileiro vive o pior retrocesso de sua história. Isso não é verdade!”.

Para combater esse estado de coisas, Marcelino Rocha evocou a altivez da educação e o poder do conhecimento. “É assim, com uma educação pública valorizada é que vamos derrotar a tucanagem e lutar conta todos os tipos de governos que querem retirar direitos da classe trabalhadora. Vamos fazer avançar as forças democráticas, com mais consciência crítica e política.”

União e persistência

20-02-2016 POSSE Sindute - Foto Lidyane Ponciano - ALTA-85-Padre Joao“O caminho é longo, mas Deus também se faz presente na luta de vocês”, disse o deputado Padre João, ao citar o refrão da música de Mercedes Sossa, na passagem em ela pede a Deus que a injustiça não lhe seja indiferente.  A persistência e a união foram pontuados como necessários e imprescindíveis neste momento em que os direitos sagrados dos trabalhadores vêm sendo ameaçados.

Padre João citou a Reforma da Previdência como uma questão que pode afetar consideravelmente os interesses do conjunto da classe trabalhadora se não for levada a sério como deve ser. “Tenham clareza de que a união de todos para evitar que os mais necessitados saiam prejudicados é muito importante”.

20-02-2016 POSSE Sindute - Foto Lidyane Ponciano - ALTA-107-Marilia CampoPor sua vez, a deputada estadual, Marília Campos, também pautou esse assunto, lembrando que não é possível aceitar qualquer retrocesso na aposentadoria de quem trabalhou toda uma vida e merece descanso digno. “Como militantes vocês foram para as ruas dizer não ao golpe contra a democracia e à presidenta Dilma. Estão combatendo a pauta desses conservadores que insistem no quanto pior melhor. Também como militantes devem fazer a disputa política para que tanto Pimentel quanto a Dilma promovam as mudanças necessárias e enfrentem a crise econômica como deve ser. O Sind-UTE/MG está presente nesse Estado todo fazendo a luta salarial, mobilizando os educadores, fazendo as disputas que fazer, promovendo a política do bem comum e tudo isso merece sim ser ressaltado, ser comemorado”.

20-02-2016 POSSE Sindute - Foto Lidyane Ponciano - ALTA-91-Rogerio CorreiaO líder da Maioria na Assembleia Legislativa de Minas Geais, deputado Rogério Correia, fez um retrospecto histórico e lembrou que há 36 anos atrás, em 1979, os trabalhadores em educação ocupavam o espaço da Escola de Direito da UFMG para fundar a UTE. “Hoje, estamos aqui com aquele mesmo espírito de quando fundamos a União dos Trabalhadores em Educação. Estamos unidos pelo bem comum e essa luta não é apenas imediata. Ela é histórica também.

A garantia dos 25% de investimentos do Estado em educação, conforme estabelece a nossa Constituição Federal, o Piso Salarial e os royalties do Petróleo formam citados como conquistas frutos das greves realizadas e dos muitos embates feitos. “Não fosse a resistência feita, não haveria que se falar na educação pública que temos hoje. Avançamos muito no governo Fernando Pimentel, mas é essencial a luta de vocês para fazer valer esses direitos, para avançar ainda mais”.

20-02-2016 POSSE Sindute - Foto Lidyane Ponciano - ALTA-123-Professor NeivaldoHoje deputado estadual, o professor Neivaldo não se cansa de dizer que sente orgulho em pertencer à categoria de trabalhadores em educação. “Em 1991 entrei para a rede estadual de ensino e, neste mesmo ano, me filei ao Sind-UTE/MG, o nosso sindicato. Sabemos que é preciso brigar para garantir ou manter conquistas, mas hoje é tempo de celebrar. Vamos comemorar a luta, a coragem de cada um e a união de todos. Parabéns, tenho muito orgulho de ser educador!”

Movimentos sociais e juventude

20-02-2016 POSSE Sindute - Foto Lidyane Ponciano - ALTA-136-Julia LouzadaA luta dos trabalhadores em educação se renova com a presença e a força dos jovens e dos movimentos sociais e populares. O Levante Popular da Juventude, por meio de sua representante, Júlia Louzada, entregou a bandeira do movimento para a coordenadora-geral do Sind-UTE/MG e destacou que, em 2012, o Levante saia pela primeira vez às ruas motivado por um sonho em construção; por um sonho que se alimentava, também, pela causa dos/as educadores/as de Minas Gerais. “Temos muito carinho e afeto nessa relação. A juventude é solidária com os professores, com os trabalhadores em educação. Queremos, juntos, construir um projeto de país”, ressaltou.

20-02-2016 POSSE Sindute - Foto Lidyane Ponciano - ALTA-145-JoceliJoceli Andrioli do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) disse que o Sind-UTE/MG faz escola, partilha conhecimento e solidariedade na luta por um mundo melhor. O MAB reconhece nesse Sindicato a sua emancipação política, e a sua grande contribuição na valorização da classe trabalhadora. “Vocês têm uma grande responsabilidade com a matriz do trabalho, pois são responsáveis pela matriz educativa por um mundo melhor. Neste sentido, o Sind-UTE traz para o Brasil uma grande contribuição, uma grande esperança”, revelou.

Responsabilidade

A dimensão dada ao Sind-UTE/MG nas falas dos integrantes da mesa foi traduzida por Beatriz Cerqueira como uma grande responsabilidade, que deve ser assumida por todos aqueles que se dispõe a estar a serviço da categoria.

O apoio de cada um foi considerado de grande importância para que a educação avance para além do Piso Salarial e da luta corporativa, para trazer de volta direitos e benefícios roubados nos últimos anos. Neste caminhar, os educadores sabem que é preciso somar forças e buscar os aliados de todas as horas.

Beatriz Cerqueira se lembrou de companheiros do bom combate a exemplo de João Maria, do Conlutas, ao lado de quem caminhou muito pelos corredores de Brasília, em 2011, buscando apoio na luta pelo Piso Salarial; companheiros/as do MAB, do Levante Popular da Juventude, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), CUT, Consulta Popular, ao José Maria do Sindágua, Celina Areias e José Carlos (SinproMinas) e tantos outros que estiveram com o Sindicato nessa trajetória de lutas. “Entendemos, cada vez mais, que sozinhos não é possível resistir e sobreviver”.

Agradecimentos

Pela presença na posse prestigiando esse momento tão singular o professor  e sociólogo Rudá Ricci,  professor e advogado Lindomar Gomes, a assessora parlamentar Neila Batista, dirigentes do Sindifes, representantes do deputado estadual Jean Freire, entre outros.

Um convite foi estendido a todos para que se envolvam na discussão da escola pública que temos e a escola que queremos. Mas, a luta maior que precisa ser travada é contra o conservadorismo, o ódio e a intolerância. “Precisamos impedir que esse mundo se torne injusto e totalitário, de exclusão da classe trabalhadora. Desejamos a todos desta direção firmeza e lealdade para com essa luta coletiva e por uma escola pública de qualidade para os filhos da classe trabalhadora. Que o Sind-UTE/MG esteja sempre no centro dessa luta coletiva”, afirmou Beatriz Cerqueira.

Fotos: Lidyane Ponciano



Galeria de fotos