Notícias

Servidores das SREs e do Órgão Central continuam em greve

  • 14/09/2015


A greve dos servidores das Superintendências Regionais de Ensino (SREs) e do Órgão Central continua! A decisão foi tirada na tarde dessa quinta-feira, (10/09), durante assembleia da categoria, que lotou o Hall das Bandeiras, na Assembleia Legislativa, em Belo Horizonte.   O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), por meio de sua coordenadora-geral, Beatriz Cerqueira, apresentou a proposta do Governo, que no período da manhã, esteve reunido com a Comissão de Negociação, na Cidade Administrativa.

A reunião, marcada inicialmente para às 10h, foi transferida para as 11h e dela participaram pelo Sind-UTE/MG, a coordenadora-geral, professora Beatriz Cerqueira e as diretoras Feliciana Saldanha, Lecioni Pereira, Marilda de Abreu Araujo. Pelo Governo, o secretário-adjunto de Governo, Francisco Eduardo Moreira, o secretário-adjunto da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), Wieland Silberschneider, o secretário-adjunto da Educação, Antônio Carlos Pereira e o assessor da Subsecretaria de Gestão de Recursos Humanos, Paulo Bréscia. Participou também o deputado estadual professor Neivaldo.  Às 13h, a reunião foi suspensa, ficando acertada a sua continuidade na Assembleia Legislativa, com a mediação daquela Casa. Mas, após aguardar retorno com propostas do governo até às 16h, a assembleia foi iniciada.

O primeiro ponto da assembleia foi a apresentação da síntese do processo de negociação com o Estado, a partir do Termo de Acordo, assinado  em 14 de maio deste ano.  Várias questões permanecem pendentes de encaminhamentos. O Sind-UTE/MG criticou o tratamento dado pelo Governo no tocante ao pagamento do prêmio por produtividade aos servidores estaduais dos anos de 2013 e 2014. “Surpreendentemente, lemos notícias recentes em jornal de grande circulação de que o Governo não faria nenhum pagamento do prêmio este ano. Na visão do Sindicato, o Governo não tem autonomia para esta posição, uma vez que o prêmio por produtividade é lei estadual e os anos em débito dizem respeito a direito já adquirido pelos servidores”, afirmou Beatriz.

Vigília na Cidade Administrativa

Pela manhã, os servidores mantiveram-se em vigília na Cidade Administrativa, na entrada do prédio Tiradentes, enquanto acontecia a reunião de negociação entre Sind-UTE/MG e o Governo.

Governo apresenta proposta

Durante a reunião na Cidade Administrativa, os representantes do Governo do Estado apresentaram proposta de correção das tabelas para os cargos de Técnico da Educação, Assistente Técnico da Educação Básica e Assistente da Educação em 16,055% dividido em duas etapas: 8% em agosto de 2016 e 8% em 2017, além de 31,78% de reajuste já acordado e aprovado na Lei Estadual 21.710/15. Mas não apresentou nenhuma proposta para os Analistas Educacionais.

Durante a assembleia, os deputados estaduais Rogério Correia e Professor Neivaldo informaram que o Governo apresentará proposta para os Analistas, em reunião que será realizada na próxima terça-feira, dia 15 de setembro.

Calendário de mobilização aprovado

Os servidores votaram, ao final da assembleia dessa quinta-feira, um calendário de mobilização que contempla as seguintes ações:

  • Novas estratégias visando dar maior visibilidade ao movimento, com realização de audiências públicas nos legislativos estadual e municipais.
  • Visita aos gabinetes de deputados para buscar apoio ao movimento.
  • Ações e mobilizações em todo o Estado, com o objetivo de manter e ampliar o quadro de adesão à greve.
  • Solicitação de audiência dos analistas educacionais com a Secretária de Educação.
  • Vigílias permanentes nas SREs.
  • Ações de radicalização do movimento.

. Vigília durante a reunião de negociação, que acontecerá no dia 15 de setembro, às 10 horas, na Cidade Administrativa e assembleia, às 15 horas, na Assembleia Legislativa.

Índices de adesão à greve em todo o Estado   

Norte de Minas
Montes Claros: 95%; Januária: 90%; Janaúba: 80%; Pirapora: 60%.

Zona da Mata
Leopoldina: 74%; Juiz de Fora: 90%; Carangola: 30%; São João del-Rei: 78%; Ponte Nova: 77%; Ubá: 75%; Ouro Preto: 35%; Muriaé: 50%; Barbacena: 60%; Conselheiro Lafaiete: 80%

Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste
Uberlândia 90%; Uberaba: 90%; Ituiutaba: 27%;  Patrocínio: 22%; Patos de Minas: 37%;  Unaí: 71%

Sul de Minas e  Centro-Oeste
Divinópolis: 98%; Pará de Minas: 70%;  Pouso Alegre: 86%;  Caxambu: 80%; Varginha: 50%;  Itajubá: 30%;  Passos: 40%;  Poços de Caldas: 50%;  São Sebastião do Paraíso: 70%;  Campo Belo: 80%

Belo Horizonte e Região Calcárea

Metropolitana A: 60%; Metropolitana B: 35%; Metropolitana C: 80%; Órgão Central:15%;  Sete Lagoas: 79%;  Curvelo 40%

Vale do Aço
Caratinga: 70%; Manhuaçu: 50%; Coronel Fabriciano: 15%; Guanhães: 60%; Nova Era: 13%

Rio Doce, Mucuri e Jequitinhonha

Governador Valadares: 90%; Araçuaí: 85%; Teófilo Otoni: 87%; Almenara: 40%; Diamantina: 70%
Servidores das SREs e do Órgão Central votam pela manutenção da greve
Servidores das SRE’s em vigília na Cidade Adminitrativa
Reunião entre Sindicato e Governo
Na Cidade Administrativa, Beatriz Cerqueira fala aos servidores das SREs e Órgão Central
Servidores em assembleia no Hall das Bandeiras na ALMG
Servidores durante assembleia no Pátio da ALMG
Servidores decidem pela continuidade da greve

Fotos: Lidyane Ponciano