Sala de Imprensa



Coletiva de Imprensa - Sind/MG - Balanço do que governo deixou de investir na educação nos últimos dois anos

Acontece, nessa quinta-feira (06/07), às 14h, na Sala de Imprensa da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, à Rua Rodrigues Caldas, 36...

Download do arquivo

Coletiva de Imprensa – 06/07/17 – 14h

 

Sala de Imprensa

 

Assembleia Legislativa de Minas Gerais

 

Rua Rodrigues Caldas, 36 – Santo Agostinho

 


 

 Sind-UTE/MG vai apresentar balanço do que o governo deixou de investir em educação nos últimos dois anos  

 

Acontece, nessa quinta-feira (06/07), às 14h, na Sala de Imprensa da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, à Rua Rodrigues Caldas, 36, no bairro Santo Agostinho, em Belo Horizonte, Coletiva de Imprensa do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais,  Sind-UTE/MG.

 

Na pauta:  O Sind-UTE/MG apresentará uma avaliação do Projeto de Lei 4.135/17, de autoria do governo do Estado, que cria os fundos estaduais de incentivo e financiamento de investimento, aprovado no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em 1° turno, no último dia (4/7/17) e também um balanço do que o governo deixou de investir em educação nos últimos dois anos e agora quer transferir para a iniciativa privada.

 

Pelo PL serão criados seis fundos estaduais: de Investimento (MG Investe), de Pagamento de Parcerias Público-Privadas (FPP), de Garantias de Parcerias Público-Privadas (FGP), de Créditos Inadimplidos e Dívida Ativa (Fecidat), de Ativos Imobiliários de Minas Gerais (Faimg) e de Investimentos Imobiliários (Fiimg).

 

De acordo com a coordenadora-geral do Sind-UTE/MG, Beatriz Cerqueira, muito preocupa os profissionais da educação e o Sindicato a criação de um fundo para pagar parcerias público-privadas.

 

Segundo o Sindicato, o governo de Minas quer entregar a gestão de escolas públicas para empresas privadas, por meio de projeto de Parcerias Público-Privadas e isso é a privatização do ensino público. “Estão querendo atender à lógica do mercado e não investir na educação como um bem público e fundamental”,  avalia a coordenadora-geral do Sind-UTE/MG.