Sala de Imprensa



Educadores de Minas Gerais participam de greve nacional e realizam assembleia estadual em Belo Horizonte dia 16/03

O Sind-UTE/MG protocolou na Secretaria de Estado da Educação, no dia 04 de março, notificação informando que a rede estadual de Minas Gerais

Download do arquivo

O Sind-UTE/MG protocolou na Secretaria de Estado da Educação, no dia 04 de março, notificação informando que a rede estadual de Minas Gerais paralisará suas atividades nos dias 15, 16 e 17 de março, dias da Greve Nacional da Educação convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores e trabalhadoras em Educação (CNTE).

 

A greve nacional da educação é uma ação articulada pelos sindicatos que representam os trabalhadores da educação básica em todo o país e este ano tem como eixo “não a perda de direitos dos trabalhadores em educação” e como pautas nacionais: pelo cumprimento da lei do Piso, contra a terceirização, contra a entrega das escolas para as Organizações Sociais (OS), contra o parcelamento de salários, contra a militarização das escolas.

 

A direção do Sind-UTE/MG informa que em Minas Gerais a categoria já está em alerta. “No final do ano de 2015, o governo do Estado de Minas Gerais publicou edital de parceria público privada na rede estadual. Por isso, a pauta de reivindicações de 2016 terá como um dos eixos a luta contra a privatização na educação pública”, afirma a coordenadora-geral do Sindicato, Beatriz Cerqueira.

 

Direito de greve

 

O Sindicato também alerta para o direito de greve, que é garantido pela Constituição da República e pode ser exercido por todos os trabalhadores e trabalhadoras, independente do seu vínculo funcional.  “Seja designado, seja efetivo e/ou efetivo em estágio probatório, todos têm o direito de aderir à greve e não podem sofrer constrangimento nem podem ser punidas pelo exercício do direito de greve”, afirma a direção do Sindicato.