Sala de Imprensa



Ano escolar começa hoje e trabalhadores em educação tem ato marcado para 5 de fevereiro

A mobilização será na Cidade Administrativa. O ano escolar tem início hoje e o Sind-UTE/MG , ao dar boas-vindas...

Download do arquivo

A mobilização será na  Cidade Administrativa 

 

O ano escolar tem início hoje e o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), ao dar boas-vindas aos educadores e às educadoras de Minas Gerais, faz um convite a todos para o bom combate. No próximo dia 5, o Sindicato realiza ato público na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, com a participação de profissionais de diversas regiões.

 

A coordenadora-geral do Sind-UTE/MG, Beatriz Cerqueira, lembra que o mês de janeiro de 2016 foi muito intenso na educação, uma vez que as designações evidenciaram, mais uma vez, a precarização das condições dos trabalhadores em educação.

 

Ela diz ainda que a centralização foi importante para garantir transparência e acesso às vagas, mas a categoria enfrentou a tradicional prática de vagas ocultas – existem e não aparecem. A falta de planejamento no número de editais fez com que a designação acontecesse até de madrugada. “Em vários lugares, faltou o mínimo de respeito uma vez que nem água e nem cadeiras foram disponibilizadas. Onde houve planejamento e respeito, o processo foi transparente. É fundamental avançarmos nas nomeações dos concursados. É a nomeação que proporciona acesso à carreira, acaba com a rotatividade e condições precárias na educação. As 15 mil nomeações por ano, que já conquistamos, não serão suficientes para mudar a realidade. Precisamos de muito mais!”

 

Mobilizados por quê?

A mobilização anunciada é motivada pelas recentes ações do governo do estado e luta contra o parcelamento dos salários do funcionalismo, pelo pagamento do mês de janeiro aos ex-efetivados da LC 100, pela imediata aplicação do reajuste do Piso Salarial Profissional Nacional (11,36%), conforme o que foi assinado entre o governador e o Sindicato.

 

Suspensão de direitos adquiridos

 

Segundo a direção do Sindicato, é necessário avaliar para além da estratégia  do governo de dividir o funcionalismo, a extensão das medidas anunciadas. Aqueles que não foram afetados pelo parcelamento de salários agora, nada impede que não sejam num futuro próximo. “Há que se destacar também a notícia que foi dada pelo governo e que foi pouco explorada: a suspensão do pagamento de diretos já adquiridos pelos servidores”, pontua Beatriz Cerqueira.

 

O Sind-UTE/MG aguardou a confirmação do agendamento de uma reunião com a Seplag para tratar da imediata aplicação do índice do reajuste do Piso Salarial Profissional Nacional (11,36%) retroativo a janeiro de 2016; rateio de férias dos efetivados e perícia médica. A reunião não foi agendada. A folha de pagamento do mês de janeiro já foi feita e o reajuste do Piso Salarial não foi aplicado. E os efetivados não receberão o salário do mês de janeiro, além da demissão de quem adoeceu.

 

A mobilização da próxima sexta-feira (dia 5 de fevereiro) tem o objetivo de pressionar o governo e acontecerá na Cidade Administrativa a partir das 9 horas.

 

Em tempo/Agenda confirmada

 

Informamos que nesta terça-feira (11h), a direção do Sind-UTE/MG será recebida pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Liderança da Maioria e vários deputados, para tratar de pautas diversas dos trabalhadores em educação de Minas Gerais, entre elas, o reajuste do Piso Salarial.