Sala de Imprensa



Sind-UTE/MG e Sinpro Minas cobram dos deputados federais que votem não à Reforma da Previdência

A pedido do Sind-UTE/MG e do Sinpro Minas, o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Adalclever Lopes, convidou os deputados

Download do arquivo

A pedido do Sind-UTE/MG e do Sinpro Minas, o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Adalclever Lopes, convidou os deputados federais mineiros para uma conversa com sindicalistas ligados à CUT, CTB, outras Centrais Sindicais e representantes dos movimentos sociais, estudantis e populares no último dia (20/03), no Salário Nobre da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em Belo Horizonte.

Comparecem ao encontro 11 deputados federais e vários deputados estaduais. Dos deputados federais que participaram do evento apenas o deputado Franklin Lima não declarou voto contrário à PEC 287. Eles se manifestaram contra a reforma da Previdência Social e se comprometeram em buscar a adesão de toda a bancada mineira contra a Reforma da Previdência. Posicionaram-se contra a reforma da previdência os deputados federais: Adelmo Carneiro Leão, Padre João, Reginaldo Lopes, Eros Biondini, Pastor Franklin Lima, Fábio Ramalho, Subtenente Gonzaga, Welinton Prado, Lincoln Portela, Ademir Camilo e Júlio Delgado.

Ao agradecer o presidente da Assembleia Legislativa, Adalclever Lopes, por ter viabilizado esse encontro como sendo uma atividade institucional da Assembleia Legislativa, a coordenadora-geral do Sind-UTE/MG e presidenta da CUT Minas, Beatriz Cerqueira, disse que a classe trabalhadora está cobrando de cada deputado uma posição contrária à Reforma da Previdência.

Também reforçou a importância do encontro, que mostrou a unidade dos mineiros contra essa proposta do governo golpista Michel Temer. “Estamos buscando o apoio daqueles que elegemos para barrar a PEC 287 e pedimos a todos vocês que votem contra essa reforma. Não os elegemos para fazer uma assembleia constituinte, para emendar a constituição por meio de reformas!”

Vários deputados, ao fazer uso da palavra destacaram que a previdência não é deficitária e que, se não houvesse tantos desvios de recursos, isenções fiscais, desonerações, a situação seria outra bem diferente.

A reforma mexe com todos e todas!

“Essa reforma é um ataque a nós mulheres, que temos a redução da idade para aposentadoria, porque assumimos funções não-remuneradas. A PEC representa a destruição do campo”, disse Beatriz Cerqueira.

Ao lembrar que os trabalhadores rurais não terão como preencher os requisitos mínimos para a aposentadoria, destacou que essa famigerada reforma vai ampliar a miséria e o êxodo rural. “ Não é possível tratar os diferentes de forma igualitária. A reforma mexe com o povo brasileiro. Não é hora de fazer uma revisão constitucional, com a perspectiva de retirada de direitos. A PEC 287 não é o caminho para o Brasil. O caminho é uma auditoria da dívida pública e uma reforma tributária, o fim da sonegação, das isenções fiscais, a taxação das fortunas.”

Por sua vez, a presidenta do Sinpro Minas, Valéria Morato, também rechaçou qualquer possibilidade de aceitação dos profissionais da educação de emendas a essa proposta. Ao pedir aos deputados para votarem contrários à PEC, destacou que o deputado que carregar o ônus de votar a favor da reforma da previdência vai correr o risco de não voltar a exercer a atividade parlamentar porque o eleitor vai dizer não a ele nas urnas. “Vamos divulgar em nossas bases, o posicionamento de cada de vocês. Essa reforma vai condenar boa parte do povo a morrer sem o acesso a direitos”, reforçou.

Comissão

Por várias vezes, o deputado Adalclever Lopes disse estar ao lado daqueles que são contrários à reforma da previdência e anunciou a criação da Comissão Extraordinária da Reforma da Previdência. “A Assembleia se levanta neste momento. Vamos percorrer várias regiões de Minas Gerais para discutir esse assunto e estamos pedindo aos deputados mineiros que votem contra a PEC 287. Estamos criando uma comissão especial para levar o debate sobre a reforma da Previdência para todo o Estado, que deve ser presidida pelo deputado Gilberto Abramo. Precisamos da ajuda de todos para que esta PEC não se transforme numa espada sobre a cabeça dos trabalhadores”.

Deputados estaduais contra a Reforma da Previdência

O presidente da Assembleia Legislativa lembrou que mais de 70% da bancada dos deputados estaduais assinaram um documento contra a reforma, mas que a meta é atingir os 100%”.

Já o vice-presidente da Câmara dos Deputados, Fábio Ramalho, afirmou que “a bancada mineira, em sua maioria, comunga com a ideia de que essa PEC não tem como passar”.

Moção de repúdio – Uma moção de repúdio à PEC 287 contida num requerimento de autoria da deputada Marília Campos, foi lida durante o encontro. O documento será encaminhado pela ALMG aos presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira.

Divulgação

O Sind-UTE/MG informa que vai divulgar a posição de cada deputado sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 287/16). O Sindicato iniciou uma série de agendas e atividades de mobilizações e de visitas aos escritórios dos deputados para fazer cobrar uma posição sobre essa PEC. Na última terça-feira, 21/03, foi realizada uma visita ao escritório do deputado federal , Leonardo Quintão, em Belo Horizonte, mas ele fugiu do local quando os/as educadores/as chegaram