Notícias

Sind-UTE/M dedica dia de luta contra as exonerações arbitrárias realizadas pelo governo do Estado – Entidade se reuniu com a representação da SRE Metropolitana B e cobrou a imediata recondução dos diretores escolares aos cargos

  • 05/07/2022


FotoStudium – Clique aqui e acesse o álbum

Recondução Já! A gestão democrática deve ser respeitada na Rede Estadual de Educação!

Esse foi o posicionamento do Sind-UTE/MG durante as atividades realizadas nesta segunda-feira (4/7/2022), que pautaram a luta contra as exonerações arbitrárias de diretores/as escolares feitas pelo governo do Estado.

De forma autoritária e desrespeitosa, o governo Zema, por meio da Secretaria de Estado de Educação (SEE/MG), exonerou sete diretores/as sob a justificativa de descumprimento do prazo para preenchimento do Diário Escolar Digital (DED). Além de provocar um caos nas escolas, na avaliação do Sind-UTE/MG, o governo utiliza uma ferramenta digital para eliminar a gestão democrática e perseguir lideranças da educação.

Manifestação e reunião com a representação da SRE Metropolitana B, em BH

Sob coordenação do Sind-UTE/MG, na manhã desta segunda-feira, educadoras e educadores realizaram uma manifestação na porta da Superintendência Regional de Ensino (SRE) Metropolitana B, em Belo Horizonte, para cobrar uma reunião de negociação e a recondução imediata dos gestores. Estudantes também marcaram presença no ato e demonstraram apoio à categoria. A SRE Metropolitana B foi onde ocorreu o maior número de exonerações.

“Essa é mais uma medida gerencial do governo Zema, que desrespeita os profissionais da Educação, os estudantes e as comunidades escolares. Impôs uma burocracia à categoria e não cria condições de resolvê-la. Não aceitaremos nenhuma exoneração”, disse a coordenadora-geral do Sind-UTE/MG, professora Denise Romano.

Durante a manifestação, uma comissão composta pela direção estadual do Sind-UTE/MG, por diretores exonerados e representantes das comunidades escolares se reuniu com a representação SRE Metropolitana B. O Sindicato destaca que na reunião ficou ainda mais evidente a negação do contraditório para os/as diretores/as, já que a notificação sobre o descumprimento de prazos com o DED foi realizada dias antes da publicação das exonerações, em 1/7/2022.

A representação da Superintendência não soube explicar os motivos para a falta de diálogo com as direções de escola e a postura autoritária para a rápida execução das exonerações. Mesmo a SRE Metropolitana B afirmando que analisará cada caso individualmente, o Sind-UTE/MG cobrou a reversão imediata da decisão com a recondução dos/as diretores/as eleitos democraticamente eleitos pelas comunidades escolares.

Comissão de Educação da ALMG realiza escuta da categoria – Governo Zema desrespeita a educação pública

Fotos: Guilherme Dardanhan/ALMG

Na tarde deste dia 4/7/2022, a Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa realizou a escuta da categoria. Quem conduziu a atividade foi a deputada estadual e presidenta da Comissão, Beatriz Cerqueira, que definiu a situação como gravíssima. “Não podemos aceitar medidas gerencialistas como essa. Já aprovamos requerimento na Comissão e a Secretária de Educação será convocada para explicar o que motivou essas exonerações. Esperamos que os gestores sejam reconduzidos aos cargos.”

A diretora exonerada da E. E. Vinícius de Moraes, Nisdey Débora de Araújo, explicou que não teve o direito de se manifestar antes da exoneração. “Na minha escola, servidores entraram de licença médica e isso impactou no prazo para preenchimento do DED. Protocolei os documentos comprovando a situação na quinta, mas já na sexta-feira fui notificada, virtualmente, da minha exoneração.”

“Disse isso na reunião de hoje de manhã com a representação do governo. Por que precisamos estar aqui se fazemos o nosso trabalho?” Esse foi o questionamento feito pelo diretor exonerado da E. E. Roberto Fernandes, Ricardo Martins de Assis Santos. O diretor exonerado da E. E. Padre Matias, Alfredo Ananias Avelar, frisou que a “Educação necessita de mais respeito!”

O diretor estadual e coordenador do departamento de Comunicação do Sind-UTE/MG, professor Paulo Henrique Santos Fonseca, esteve presente na reunião da Comissão de Educação e reforçou o posicionamento da entidade. “Nos reunimos com o governo. Não há justificativa para essa postura autoritária e não abriremos mão da recondução imediata dos diretores aos cargos para os quais foram eleitos.”